Quem sou

15. March 2008

Olá, eu sou Marcelo Oliveira, 37 anos, natural de Porto Alegre, RS, e desde 1995 resido na Alemanha. (15 anos em Munique, e desde 2010 em Düsseldorf.)

 

Alemanha

Desde pequeno, sempre tive uma fascinação por este país. Meu sonho era estudar Física (no Brasil) e depois fazer um doutorado no Instituto Max-Planck de Garching. :-) O sonho do curso de Física durou 2 anos, até que acabei trancando a matrícula e vindo para a Alemanha alguns anos antes do planejado.

Chegando aqui, ainda meio “perdido”, logo me matriculei em um curso de Alemão. Afinal, eu mal sabia falar “Hallo”, “Wie geht’s?” e “Tschüß”. :-) Só com o passar dos meses é que descobri que nem o segundo grau brasileiro nem as minhas cadeiras da graduação me ajudariam: Teria que cursar uma espécie de supletivo para extrangeiros (Studienkolleg) um ano, para depois então poder ingressar na faculdade aqui. Apesar da decepção inicial, meu espírito lutador falou mais alto e resolvi enfrentar a parada. Resumindo a jornada de vários anos em três linhas: fiz a tal equivalência de segundo grau, entrei na universidade e em 2005 me formei em Alemão como Língua Extrangeira (algo como Letras no Brasil), Informática e Comunicação Intercultural.

Aqui na Alemanha você encontra geralmente dois tipos de brasileiros: Aqueles que odeiam o Brasil e acham tudo aqui melhor, e aqueles que odeiam a Alemanha e acham tudo aqui pior. Bom, desnecessário dizer que não pertenço a nenhum dos dois grupos. Sei reconhecer os lados bons assim como os ruins dos dois países. Hoje tenho dupla nacionalidade, gosto de viver aqui, mas isso não significa que eu necessariamente vá passar o resto da minha vida neste país.

 

Podcasting

Lendo o blog de um amigo ouvi falar pela primeira vez sobre podcasting. Aí descobri o Código Livre, Gui Leite e mais algumas pérolas americanas e alemãs. Não durou muito e lá estava eu com meu próprio programa, o podcast do Projeto Fritzlândia. Eu até já tinha criado um blog para compartilhar minhas experiências aqui na Alemanha com meus amigos e – por que não – com os internautas em geral. Aí surgiu o lance dos podcasts e eu embarquei direto nessa mídia. Comecei aos poucos, devagar e sempre, e hoje o episódio mais ouvido tem mais de 15.000 downloads, os outros variam entre 3.000 e 5.000. E (essa eu nunca vou esquecer) o Alexandre Sena (jornalista de Brasília, DF) disse no seu podcast que eu lembrava os correspondentes extrangeiros Lucas Mendes e Sílio Boccanera. É mole? ;-) (Bem, isso era nos “velhos bons tempos” do podcast…)

Depois do 18o episódio infelizmente fiz uma pausa forçada com o programa, pois não tinha mais tempo mesmo para produzi-lo. Foi nesta mesma época que vários podcasts acabaram sumindo. Mas “o bom filho sempre à casa torna”, e o Projeto Fritzlândia voltou. Não mais semanalmente como no início, mas volta e meia lancei um podcast ou videocast novo sobre um assunto diferente, sempre contando o que estava rolando aqui na Alemanha e na Europa em geral. Atualmente o último episódio do podcast (#21) foi lançado maio de 2008, o videocast (#8) em setembro do mesmo ano. Um dia quem sabe não “retorno de novo”. :)

Sintam-se em casa no site, escutem o podcast e assistam o videocast. Espero que gostem!

 

  • Nenhum comentário

Função de comentários desativada.

Trackback URI |